Como eu faço para poder investir em Dólar na bolsa de valores? qual empresa é a melhor para eu começar investir meu dinheiro online?saiba tudo agora nessa postagem, vamos deixar tudo claro!

Entrar na bolsa de valores a fim de investir em dólar e ações está acessível a todos nós atualmente.




Será o dólar a forma válida de aplicar a fim de turbinar seus ganhos de capital e garantir sua independência financeira?

O objetivo deste artigo é justamente esclarecer se essa escolha se aplica às suas necessidades, conhecimentos e aversão ao risco.

O dólar na bolsa de valores tem diversas opções de investimento. Algumas são mais apropriadas que outras pra diferentes perfis, modos operacionais e objetivos.

Vamos conhecer algumas delas:

    1. QUAIS SÃO AS OPÇÕES DISPONÍVEIS PRA SE NEGOCIAR DÓLAR NA BOLSA?

    Existem diversas maneiras válidas de se investir em dólar na bolsa de valores, direta e indiretamente, e cada uma delas se aplica a situações diferentes:

    • Fundos Cambiais: basicamente são fundos de investimento que alocam recursos em moedas estrangeiras. Ao comprar cotas de um fundo cambial estamos garantindo que o valor aplicado varie o mais próximo possível do dólar. Se a moeda cair, no entanto, em tese, teremos prejuízo. Acontece que essa aposta é muito válida se soubermos que teremos aquela viagem no futuro ou despesa em moeda estadunidense. Nesse caso, não estamos buscando exatamente “lucro”, mas a garantia que o dinheiro que pagaria despesa conhecida em valor de hoje e que pagará esse débito em moeda estrangeira também amanhã. Isso é fazer hedge. Os fundos não investem diretamente na moeda estrangeira, mas em títulos referenciados emitidos por bancos ou outras empresas financeiras.




    • Ações de empresas exportadoras: empresas que têm mercado forte no estrangeiro costumam ter suas ações valorizadas quando o dólar sobe. Se a demanda por seus produtos se mantiver, a tendência é que seus lucros subam na mesma proporção. Porém, ações, na bolsa de valores, dependem de outros fatores além da variação cambial do dólar.
    • Contrato Futuro: o objetivo original dos contratos futuros de dólar e dos minicontratos futuros de dólar é dar proteção a importadores e exportadores que precisam garantir um valor determinado pela moeda no futuro já na data de hoje. Imagine que eu tenho que pagar uma dívida em dólares daqui a três meses e não tenho certeza se o dólar vai subir. Eu compro contratos futuros no valor atual e, não importa quanto será o valor do dólar em noventa dias, eu garanto, assim que tenho como pagar minhas dívidas. No entanto, contratos e minicontratos de dólar são largamente usados como investimento e como especulação, através de day trade, principalmente, aproveitando as pequenas variações que acontecem a cada minuto sobre esses derivativos.

    Como podemos ver nessas três opções, o dólar, mais do que um investimento em si, é visto como forma de proteção de seu capital ou de ao menos parte dele.

    A outra opção é usá-lo como forma especulativa a fim de lucrar em trades (negociações) curtas, comprando quando achamos que ele terá um movimento de alta e vendendo quando achamos que terá um movimento de baixa.

    Nem listamos a compra direta da moeda porque isso implica em diversas desvantagens:

    • O spread das casas de câmbio: você compra por um preço mais alto do que o da cotação e vende por um preço mais baixo
    • IOF: sim, você paga esse imposto
    • Guardar dólares em casa é sempre um risco

    2. ENTENDENDO A VARIAÇÃO DO DÓLAR NA BOLSA DE VALORES

    Podemos falar do aquecimento da economia dos Estados Unidos. Podemos falar da política externa de países que regem a economia mundial. Ou até mesmo do enfraquecimento de nossa própria moeda em relação ao dólar por fatores diversos. Mas, embora haja muita verdade nisso tudo, haverá muito de achismo nos analistas que proferem essas opiniões.

    O fator mais direto que comanda o sobe e desce do dólar – e de qualquer ativo ou derivativo negociado na bolsa – é a oferta e a procura.




    Uma grande demanda pela moeda, isto é, muita gente querendo comprar dólar (por exemplo, para se proteger de alta) vai justamente provocar elevação do preço do dólar.

    Se houver muita oferta, muita gente se desfazendo do dólar (por exemplo, para investir em companhias cujas ações prometem se elevar), fará a moeda cair.

    Se pretendemos investir ou, ainda melhor, fazer trades com dólar, é nesse tipo de informação – possível de ser medida com as ferramentas certas (as do Raio X Preditivo, por exemplo) – a que devemos ficar atentos.

    3. COMO GANHAR COM A VARIAÇÃO DOS PREÇOS? na Bolsa de Valores

    No longo prazo, é difícil pensar em dólar como investimento e sim como hedge (proteção). Como já explicamos: por exemplo, se você sabe que terá despesa em dólar no futuro e, caso haja variação cambial importante, você, assim, tem o poder financeiro para bancá-la.

    No curto prazo, a melhor maneira é fazendo trades de curto ou curtíssimo prazo com minicontratos de dólar, observando a possibilidade de variação positiva ou negativa desse derivativo.

    Para isso usa-se a observação dos gráficos, particularmente com a Nova Análise Técnica, sistematizada pelo curso Raio X Preditivo.

    Quando se vê a possibilidade de que o papel terá valorização, compra-se com o objetivo de a seguir vendê-lo mais caro. Quando a leitura é de desvalorização, vende-se, com o objetivo de a seguir recomprá-lo a um preço mais barato. O lucro é sempre a diferença entre esses dois valores.

    4. ENTENDA QUEM SÃO OS INVESTIDORES ESTRANGEIROS QUE COMANDAM O MERCADO

    Porém, não é qualquer volume de oferta e demanda que é capaz de produzir oscilações consistentes do valor do dólar na bolsa ou mesmo de ações.

    Os participantes capazes de provocar esse sobe e desce de preços são conhecidos como investidores institucionais ou, na gíria do mercado, big players.

    Mas quem são eles?

    Uma pesquisa recente de universidade de Zurique revelou que o capital mundial estaria concentrado em 43 mil empresas de atuação global.

    Aprofundando o levantamento, porém, descobriu-se que pouco mais de 140 corporações dominavam direta ou indiretamente pelo menos 40% de todas as demais.

    Destas, pelo menos metade tem intensa presença nas bolsas de valores de todo o mundo.

    E é na atuação destes participantes que precisamos ficar de olho se quisermos ganhar dinheiro fazendo trades com dólar.

      5. RISCOS QUE ENVOLVEM INVESTIR EM DÓLAR

      O dólar dificilmente terá risco de liquidez em qualquer de suas modalidades de investimento: sempre haverá quem queira comprar e sempre haverá quem queira vender dólar.

      O maior risco do investimento em dólar é comprar a moeda e ela cair de preço. Embora seja moeda forte, ela está sujeita a oscilações negativas como já foi visto no passado e como é visto diariamente na bolsa de valores.

      Do mesmo modo, apostando em queda, podemos vender dólar – fazendo day trade, por exemplo, e, a seguir, o câmbio disparar para o alto.

      A esse tipo de risco chamamos de risco de mercado.

      Quem compra dólar – seja através de fundos cambiais ou contratos futuros de dólar -, não para investir, mas pra se proteger, no entanto, não está correndo risco, visto que seu investimento primeiro seria outro: seja simples viagem ou, em termos mais complexos, importação de produtos pra venda no mercado nacional.

      6. QUAIS AS VANTAGENS DE SE INVESTIR EM DÓLAR NA BOLSA DE VALORES

      Eis algumas vantagens de se investir em dólar:

      • Proteção cambial: se precisamos pagar dívidas em dólar ou usar dólar no futuro, mantemos o poder de compra de nosso capital.
      • Moeda forte: dificilmente o dólar deixará de ser moeda forte no curto, no médio ou mesmo no longo prazo.
      • Possibilidade de trades no curto prazo: o dólar oscila diariamente e, nessas pequenas variações, podemos lucrar desde que tenhamos leitura adequada de como, quando e com que intensidade isso vai acontecer.
      • Liquidez: investir em dólar sempre é passível de se liquidar a posição facilmente, pois sempre haverá compradores e vendedores da moeda, não importa a modalidade da aplicação

      7. CUSTOS E TAXAS PRA FICAR ATENTO

      Vamos falar de maneira breve sobre os custos de se investir em dólar:

      • Fundos cambiais: fundos de investimento sempre têm taxa de administração que varia de instituição para instituição. Alguns fundos terão também taxa de performance. Isto é, a administradora fica com pequena porcentagem do lucro que ultrapassar a meta do fundo
      • Ações: ao comprar ações de empresas exportadoras com intenção de ganhar com a variação do dólar teremos taxas como a de corretagem, custódia, emolumentos e impostos como o ISS e o Imposto de Renda (em caso de lucro).
      • Contratos e minicontratos de dólar: assim como as ações, há corretagem, custódia, emolumentos e os impostos ISS e Imposto de Renda.

      Sobre as taxas e impostos falamos mais detalhadamente sobre eles em outros artigos que você deve conferir para saber mais.

      8. COMO SABER SE O DÓLAR É PARA MIM

      Salvo se você pretende investir em dólar na bolsa de valores para se proteger da variação cambial, caso tenha despesas nessa moeda no futuro, sem dúvida que o dólar é um investimento de risco, sujeito à volatilidade do mercado.

      Então, se você não é avesso ao risco, o dólar é para você, sobretudo para trades de curto prazo, para especulação.

      No entanto, esse só será o seu caso se estiver disposto a estudar uma leitura consistente do mercado a fim de detectar com antecedência aqueles momentos em que o dólar terá altas ou quedas que proporcionem lucros em posições compradas ou vendidas.

      Não se trata de um jogo de azar, mas de estratégia: é preciso estudo, dedicação, disciplina e confiança em uma metodologia.